sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Para todos os que me seguem

A perseguição continua!
Fui posta no olho da rua!


Curiosamente nas vésperas da cimeira Ibero-Americana.
Deve fazer parte do plano para me enterrarem viva.
Para quem o fez e deu a ordem, pode continuar a rir e a comemorar.

A minha força está redobrada; vão ter notícias minhas brevemente.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Arquivamento do processo pelo DIAP - V

Constatações


O Ministério Público verifica (constata, segundo a sua linguagem) que no "estudo da malha central" datado de 9 de Julho de 1958 não existia o edifício do actual Ministério da Segurança Social, que aparece na fotografia de folhas 125 (relativas ao baptismo da ofendida).

Ver: AQUI

Como o processo foi arquivado por falta de provas, que mais provas é que o Ministério Público precisa?

Porque é que nunca fui ouvida?

Quem é a criança que está na fotografia do meu suposto baptismo?
Porque não exigiram um teste de ADN à senhora Ilda Flores Nunes, visto ela ter afirmado ao MP que já me tinha dito que o meu pai não era o meu pai?
Sabendo, como sei agora, que eu não tinha advogado, presumo que a senhora Ilda devia ter com ela um dos tubarões da nossa praça.

Tiveram ordens para parar a investigação? Claro que tiveram! Não fizeram nada, limitaram-se a arquivar.

Não acham, senhores do DIAP, que cometeram uma INFÂMIA?
Eu acho!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Ena pá tanto dinheiro!!... III

UUPS!!!

Eu não lhe disse que a blogosfera é tramada?

Já toda a gente fala de si.


Quinta-feira, Novembro 05, 2009

CONVERSA DE CAFÉ


> A conversa é como as cerejas e hoje no café a minha interlocutora foi uma senhora que viveu em Angola e Moçambique. O seu pai foi Adjunto de Procurador da República em Luanda e Lourenço Marques. E um colega de seu pai era o juiz Ferro Ribeiro. Ferro Ribeiro? Ops! Perguntei logo se um Ferro Ribeiro que andou por Macau debaixo da alçada de Stanley Ho e que através das Construções Técnicas chegou a ter o mundo na mão e que deixou ir tudo por água abaixo. A senhora respondeu afirmativamente e salientou que esse Ferro Ribeiro já era "um louco desde pequenino... sabe lá... eles moravam por cima de nós e um dia o miúdo começou a discutir com a mãe e a atirar a roupa toda da senhora pela janela abaixo... o irmão era muito bonzinho e hoje é um grande cientista, era um barra em Matemática... o pai sofreu muito com esse filho que andou por Macau e ainda receou que o matassem..."


in Jornal do Pau

Afinal parece que você ainda é pior do que o PS pensa: "Pateta"

Realmente, pensando bem, só um louco poderia ter prestado tais declarações, sobre mim, ao DIAP.

Conversas de café!... lololol