sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Para todos os que me seguem

A perseguição continua!
Fui posta no olho da rua!


Curiosamente nas vésperas da cimeira Ibero-Americana.
Deve fazer parte do plano para me enterrarem viva.
Para quem o fez e deu a ordem, pode continuar a rir e a comemorar.

A minha força está redobrada; vão ter notícias minhas brevemente.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Arquivamento do processo pelo DIAP - V

Constatações


O Ministério Público verifica (constata, segundo a sua linguagem) que no "estudo da malha central" datado de 9 de Julho de 1958 não existia o edifício do actual Ministério da Segurança Social, que aparece na fotografia de folhas 125 (relativas ao baptismo da ofendida).

Ver: AQUI

Como o processo foi arquivado por falta de provas, que mais provas é que o Ministério Público precisa?

Porque é que nunca fui ouvida?

Quem é a criança que está na fotografia do meu suposto baptismo?
Porque não exigiram um teste de ADN à senhora Ilda Flores Nunes, visto ela ter afirmado ao MP que já me tinha dito que o meu pai não era o meu pai?
Sabendo, como sei agora, que eu não tinha advogado, presumo que a senhora Ilda devia ter com ela um dos tubarões da nossa praça.

Tiveram ordens para parar a investigação? Claro que tiveram! Não fizeram nada, limitaram-se a arquivar.

Não acham, senhores do DIAP, que cometeram uma INFÂMIA?
Eu acho!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Ena pá tanto dinheiro!!... III

UUPS!!!

Eu não lhe disse que a blogosfera é tramada?

Já toda a gente fala de si.


Quinta-feira, Novembro 05, 2009

CONVERSA DE CAFÉ


> A conversa é como as cerejas e hoje no café a minha interlocutora foi uma senhora que viveu em Angola e Moçambique. O seu pai foi Adjunto de Procurador da República em Luanda e Lourenço Marques. E um colega de seu pai era o juiz Ferro Ribeiro. Ferro Ribeiro? Ops! Perguntei logo se um Ferro Ribeiro que andou por Macau debaixo da alçada de Stanley Ho e que através das Construções Técnicas chegou a ter o mundo na mão e que deixou ir tudo por água abaixo. A senhora respondeu afirmativamente e salientou que esse Ferro Ribeiro já era "um louco desde pequenino... sabe lá... eles moravam por cima de nós e um dia o miúdo começou a discutir com a mãe e a atirar a roupa toda da senhora pela janela abaixo... o irmão era muito bonzinho e hoje é um grande cientista, era um barra em Matemática... o pai sofreu muito com esse filho que andou por Macau e ainda receou que o matassem..."


in Jornal do Pau

Afinal parece que você ainda é pior do que o PS pensa: "Pateta"

Realmente, pensando bem, só um louco poderia ter prestado tais declarações, sobre mim, ao DIAP.

Conversas de café!... lololol

domingo, 25 de outubro de 2009

Arquivamento do processo pelo DIAP - IV

Mistérios...

Pois... ora então o Dr. José Leal Armas não me conhece?

Oh pra mim de chapéu ao lado do Dr. José Leal Armas no dia em que fomos seus convidados para ir comer umas magníficas lapas grelhadas.

Oh pra mim de capa e chapéu a fazer o passeio digestivo depois do lauto almoço com o Dr. José Leal Armas.

Quando o Jaime Pacheco teve a honra de ter uma rua com o seu nome a placa toponimica era de estrondo: uma placa de pedra negra com letras douradas.
Que mal terá feito o Prof. Doutor Aurelio Quintanilha para apenas ter direito a uma placa de platex com uma folha A4 impressa coberta a plástico?
Ou a cerimónia foi marcada tão depressa que não houve tempo para mais??

Quando se é convidado oficialmente é sempre alguém do Governo que nos vai esperar ao Aeroporto. Pois neste caso quem nos foi receber foi o Dr. José Leal Armas, que se apresentou como Antropólogo. Ah! e tivemos carro e motorista à disposição durante os dias que durou a visita.
Que interesses se terão levantado que impediram os filhos do avô Aurélio, a Cecília, a Carlota e o Alexandre, já que sempre gostaram de andar na giraldinha à conta do papá célebre, de serem eles a estar presentes na cerimónia?

O Ministro da República, Prof. Doutor Mário Fernando de Campos Pinto, foi uma simpatia para mim.
Na sessão solene no Salão Nobre dos Paços do Conselho discursaram além do Prof. Mário Pinto, o Dr. José Leal Armas (aqui na imagem durante o seu discurso), grande amigo do homenageado, avô materno do meu ex-marido. Ver: http://www.ihit.pt/new/boletim.php?area=boletins&id=75

Pelos vistos ninguém me conhece em Portugal e Ilhas!
Pois...
Cá pra mim isto foi obra da aventalada!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

A pedido de várias famílias

Caros seguidores, leitores, amigos e comentadores deste blog:
Queriam tanto saber o que escrevi ao Dr. Paulo Portas?
Pronto faço-vos a vontade:

Como podem ver eu também tenho uma letra complicada, portanto escrevo como Mr. Anthony Blair.

PS (leia-se post scriptum) - As armas são do meu ex-marido.
E como o Dr. Paulo Portas é advogado eu gostava imenso de saber se estou casada ou divorciada, mas isto vai num próximo post.

Quando temos caligrafia complicada - II


Caro Dr. Paulo Portas:

Percebo que se tenha incomodado com o meu post sobre a sua pessoa e a mostra pública de correspondência privada. Mas tem de compreender que esperei 7 anos, cerca de 2.500 dias, para que me decifrasse a sua caligrafia o que ainda não aconteceu.

Não me diga que aconselhou a nossa amiga Rita Ferro a não me convidar para os lançamentos dos livros para não correr o risco de me encontrar?

É que no último lançamento no Grémio Literário bem vi, embora eu e o meu ex-marido estivéssemos na primeira fila, que ficou pertinho da porta do salão. Além disso, sem qualquer explicação plausível, a Rita deixou de dar sinal de si... nem atende o telefone!

Tem medo de se cruzar comigo?

Foi por isso que recusou o meu ex-marido como membro do CDS?

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Às Autoridades deste país que me saibam responder! - IV

Os portugueses da britânica Vodafone a brincarem comigo!


Inquirido o Apoio a Clientes foi-me comunicada a desculpa de que o número 917407529 nunca me tinha pertencido e nem sequer estava atribuído!!!

Como podem ver pela carta abaixo o 917407529 sempre me pertenceu.


Caros senhores da Vodafone façam o favor de recolocar os meus dados nos vossos computadores (donde nunca deveriam ter saído!) e pôr o 917407529 a funcionar convenientemente, isto é, com tudo o que lá estava!

sábado, 17 de outubro de 2009

Para Vasco Colares Pereira ex-membro do SIEDM à altura sob as ordens de Lencastre Bernardo.

in semanário SOL de 16 Outubro 2009

Agora compreendo Vasco Colares Pereira a sua proposta, sua não, do SIEDM em 2001.
Claro que depois deste artigo, entendo porque tinha que assinar uns papéis!!!

Está bem de vida na empresa de segurança?
Pois! calculo e o mais hilariante é que o DIAP não conseguiu encontrá-lo.

Deve ser por causa dos carros serem pretos com vidros fumados e sem matricula.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Banco de Portugal e Ministro das Finanças

Caros Drs. Victor Constâncio e Teixeira dos Santos

Mais outro mistério!


Que venham por curiosidade uma vez (embora presuma que vexas, tenham mais que fazer, por exemplo governar o País) ao blog de uma tontinha louca (como já fui apelidada) ainda compreendo!

Mas passar a vida num blog de uma pobre de cristo que vive do RSI, é estranho...

Não acha Dr. Victor Constâncio?
Não acha Dr. Teixeira dos Santos?

Eu como loira estúpida acho.

Mas quem sou eu...

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Arquivamento do processo pelo DIAP - III

ou o mistério das fotocopiadoras em pleno Sec XXI;
ou o mistério dos dígitos nos cheques;

ou o mistério do IBAN;

ou o mistério da morada no primeiro livro de cheques.

Caros senhores do Departamento de Investigação e Acção Penal.

Aqui está o cheque, que demorou 3 meses a fotocopiar, obra asseada não?
Falemos então do cheque:
Como todos podem ver tenho um nome muito comprido, o qual não cabe nos PCs dos bancos, devido a isso é sempre abreviado como se pode ver no documento seguinte do Banco Santander.
Qualquer empregado bancário lhes poderia ter dito, que entre espaços e letras só cabem 36 dígitos.
Espantoso cheque, só se esqueceram do "e" até o hífen puseram! No extracto do banco, está abreviado e todos os cheques são passados assim.
São as novas tecnologias caros investigadores, e no mesmo extracto podem também ver o mistério do IBAN, sendo o próprio banco a avisar-me que o IBAN não confere, tão engraçado não é? Estava a entrar na outra conta, "A TAL"que foi aberta por engano! Pois!!!...


E foi por isso mesmo, por haver tantos enganos, que a morada do meu primeiro livro de cheques é esta como o documento abaixo comprova, que nunca foi a minha morada.


Arquivamento por falta de provas???
Arquivamento por ordens superiores, isso sim!

Quanto às suas declarações ao DIAP, Camané, ficam para novo post!

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

IDIOTAS


Só um idiota e burro é que põe um comentário destes, num blog com moderação.
Estão aflitos?
Eu não...

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Quando temos caligrafia complicada - I

Caro Dr. Paulo Sacadura Cabral Portas:

Quando era Ministro da Defesa escreveu-me.


No Maxime aquando do lançamento de um livro da Rita Ferro, em Maio de 2007, prometeu que me explicaria o que me escreveu. Lembra-se? Estávamos a falar ao ouvido um do outro e até fomos filmados.

Quando temos uma caligrafia complicada, e eu tenho-a, fazemos como Mr. Blair num dia em que devia ter coisas mais importantes a fazer do que mandar responder a uma louca!



Continuo à espera da sua explicação Dr.Paulo Sacadura Cabral Portas!
Eu quando prometo cumpro.

Cumprimentos
Manuela Diaz-Bérrio

PS - A sua Mãe é uma mulher de sorte: o seu irmão Miguel também é uma simpatia!

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Arquivamento de processo pelo DIAP - II

Antes de começar, tal como os Srs. sabem, eu também sei:
O PROCESSO PODE SER REABERTO COM NOVAS PROVAS.


Eu não tenho o dom da Ubiquidade, se você têm, porreiro pá!
Claro que não podia conhecer-me aos 18/19 anos, visto eu estar a viver em Espanha.

Como no post anterior se pode ler, no 2º artigo do "Tal&Qual" no capítulo "O começo" sabe-se que se licenciou em 1977 e depois trabalhava na Secretaria de Estado da Comunicação Social.
Tente lembrar-se da pseudo data do meu nascimento. Vá lá!
Vou dar-lhe uma dica: aonde estava vc no dia 22 de Agosto de 1978, com uma rosa vermelha na mão?

Amnésia é o de que este Pais sofre!

O Pedro Rebelo de Sousa não lhe disse que não pode prestar falsas declarações? Que é crime? Não aprendeu isso no seu Curso de Direito?

Foi a conselho da Ilda?, só pode.

O seu pai, que usava o Musk que vc encheu de oleo, deve estar a dar voltas na tumba!
O Dr. Pedro Monteiro Leite, que me ofereceu um livro autografado (convenientemente roubado de minha casa, claro!) é que tinha razão quando lhe disse, na Sec. Est. da Comunicação Social, à minha frente, que vc não merecia a namorada que tinha!

Venha aqui ao blog afirmar que é mentira o que eu tenho vindo a dizer! Venha!

Venha dizer que é mentira que quando o Dr. Pedro Cunha e o Dr. Vasco Melo receberam a carta do Sousa eles foram a sua casa e vc disse que eu era louca e queria dar cabo de si!
Venha!

É que nem o Dr. Pedro Cunha nem o Dr. Vasco Melo são mentirosos.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Ena pá tanto dinheiro!!... II

"Quem cabritos vende e cabras não tem, de algum lado lhe vem!" - ditado popular

Capa do "Tal & Qual" nº 756 de 16 de Dezembro de 1994

A blogosfera é tramada. Muito melhor que faxes.

Para que todos os que vêm ao meu blog (e olhe que são muitos), aqui fica mais um post que lhe dedico.
Vê como sou amorosa?

Leiam caros seguidores e amigos:


Vai na volta caíu-lhe um saco de dinheiro na Secretaria de Estado da Comunicação Social, que era aonde vc trabalhava. Lembra-se? Já lhe está a passar a amnésia que lhe deu no DIAP?

domingo, 27 de setembro de 2009

Ena pá tanto dinheiro!!...

... para quem tinha que ir pedir dinheiro e o carro emprestado à irmã para me levar a jantar!!



Para o Cajó, não o do Xafarix, mas o Jorge Ferro Ribeiro da Interfina ,Macau, etc., etc.

Olá!!!!
Eu não o avisei que ia ser pior que os faxes?
Tá tudo bem consigo?
Continua com o ego lá em cima?
É opus dei ou aventalada?

Vanos começar:
A que propósito é que eu estou metida com a Interfina e o lobby de Macau, conforme a notícia que foi parar ao Semanário e que ele não publicou por pensar que era um escândalo para a Corôa Britânica?
Foi através do cheque que a Interfina me passou e que "bateu na trave"? E depois exigi cheque visado e assinei recibo!
Não me diga que andou a brincar com a minha assinatura como o Luís Filipe Vieira? Ou a "brincadeira" vem mais de trás?

Quando o "Der Spiegel" der à chave vai ser giro...
Como sabe a "mulher de um raio" descobre tudo! Como você me disse muita vez: "Não se lhe pode fazer o ninho atrás da orelha!"
A Ilda estava muito preocupada consigo quando eu lhe mandei dizer que você tinha sido preso! Só dizia: "Ai meu Deus, ai meu Deus!!"
Calculo que se lembre quem é a Ilda, aquela que não se lembra em que dia é que eu nasci, coisa que qualquer mãe sabe!
Com que então ia depositar o dinheiro na conta da Ilda Flores Nunes? A QUE PROPÓSITO? Porquê? Tem a ver com Macau?

O Pedro Rebelo de Sousa não lhe explicou, que não se prestam falsos testemunhos ao DIAP? Bem fez ele que se "pirou" da Interfina quando viu o que por lá se passava!
Continua a ter gente metida no SLB?

Quer saber o que o Vasco Colares Pereira, membro do SIEDM, disse de si?
Fique esperando, que eu digo.

Cajózinho: você arma-se "aos cucos" mas é com os outros; à minha frente até gagueja!
Ainda bem que não me casei consigo quando me pediu; do que eu me safei! Em 2009 ainda não me livrei de si! Eu bem o percebo com essa do casamento: Era oiro sobre azul!!

E não se esqueça que os ingleses são racistas! Eu bem sei que a sua filha não tem culpa, mas os meus filhos também não!

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Arquivamento de processo pelo DIAP - I

Vou começar pela Certidão do Assento de Baptismo falsa.
Sobre este assunto, que é onde começa a trama, argumenta o DIAP em 4 linhas e picos:


Caros senhores do Departamento de Investigação e Acção Penal:
Ouvem o Pároco da Igreja de S.João de Deus e o Patriarcado. O DIAP acha que há crime, contudo, como está prescrito, arquivam!

Como devem saber, naquela época, até à entrada para o liceu a cédula pessoal era o único documento oficial de qualquer criança; só depois se tirava o BI.

Os senhores é que, supostamente, sabem de leis e de investigação, e não lhes passou pela cabeça pedir ao Patriarcado a explicação para a ausência da anotação do baptismo na Cédula Pessoal? Ou melhor ainda a autorização para eu ser "baptizada" na Igreja de S. João de Deus?

É que pela lei da Igreja eu deveria ter sido baptizada em S. Sebastião da Pedreira; para o ser noutra igreja tem que haver uma autorização do Patriarcado.

Julgava que a vossa missão, como o nome indica, também fosse da "investigação"!

Não pensaram, senhores do DIAP, que lhes estão o ocultar algo? Ou é ao DIAP que estão a mandar ocultar?

O crime de ocultação de identidade prescreve? Ou o poder político vai fazer uma lei a correr para isso acontecer?

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Preocupação BES

Aos Senhores Jornalistas

A propósito de um comentário da autoria de um anónimo hoje, 18 de Setembro de 2009, às 9:47, que eliminei por insultuoso, colocado no post de Sábado, 29 de Agosto de 2009, com o título "A Suas Excelências os Senhores Presidentes da República Portuguesa - II" e que transcrevo

"Karocha, vai-te phoder! Achas que é filha da rainha, né? O que tu queres sei eu! Promoção da tua insignificante e banal pessoa! Tens cá uma imaginação!"

faço, aos Jornalistas desta terra (e não só!), a seguinte pergunta:

O que vos falta para "destaparem" o assunto que todos conhecem desde que ao "Semanário" foi parar a "dica" de que a herdeira da Rainha tinha negócios com a Interfina do Almeida Santos e Ferro Ribeiro, sabendo, hoje, que alguém desvia a minha pensão, que vivo com 187€ de Rendimento Social de Inserção, e nem sequer casa tenho?

Qual dos variadíssimos jornalistas que comigo falaram sabendo quem sou, escreveu a carta que está patente em baixo?


Têm que olhar para o bem-estar das vossas famílias? Também eu! Coragem e dignidade não ficam mal a ninguém!

Quem escreveu? Ninguém se acusa? São pressões políticas?
Claro que são! Se assim não fosse a TVI teria largado o escândalo, como disse que o ia fazer, e não o fez por causa da SIC.

Os senhores jornalistas não têm um pingo de dignidade e coragem. Estão todos vendidos!

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Para o Dr. Ricardo Espírito Santo Salgado, Presidente do Grupo BES

Caro Dr. Ricardo Salgado:

Estou em crer que fomos ambos vítimas de uma infâmia.
Vejamos:
A - A junta médica da sua companhia deu-me alta com incapacidade total e permanente, como resultado dos ferimentos causados pelo desastre que o seu segurado provocou - a camioneta chocou de frente com o meu carro estando eu na minha mão.
B - A sua Companhia de Seguros, a Tranquilidade, não contestou. Presumo, portanto, que só pode ter havido um Tribunal Arbitral.
C - O meu advogado pediu-me para assinar uma procuração que, já me foi dito por quem percebe de Direito, só se passa em raríssimos casos, e nunca em acidentes de automóveis, e é preciso ter muita confiança no Advogado, como era o meu caso; não entendo como pode ele ter acordado baixar a importância do montante a pagar pela Tranquilidade.
D - O documento de quitação da Tranquilidade tem uma estranha aparência, pois até tem assinaturas rasuradas.


Notem o meu BI escrito à mão; nem sequer é a minha letra.

Notem a rasura na assinatura.

A minha pergunta é "Onde está (ou quem ficou) com o resto da minha indemnização?"

Como vê estamos ambos, o Dr. Ricardo Espírito Santo Salgado e eu, a ser vítimas de uma infâmia, pois não me passa pela cabeça que tenha sido o senhor a ordenar isto.

Espero e agradeço que tome rápidas e efectivas acções no sentido de emendar a "mão"!

To be continued

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Para o Dr. António Costa, Ilmº Presidente da CML e Ex-Ministro da Administração Interna.

A dificuldade em agendar uma audiência com o PGR.

Caro Dr. António Costa
Como todos presenciaram via TVs, foi-lhe muito difícil marcar uma audiência com o PGR, Dr. Souto Moura.
Foi uma infâmia o que lhe fizeram Dr. António Costa.

Aqui provo como eu, uma pobre de Deus, uma Zé-Ninguém, o consegue em 15 dias, sem fundamentação específica.



terça-feira, 8 de setembro de 2009

Aos que sabem e nada dizem!

Há contudo quem saiba e se refira ao meu assunto apesar das meias palavras.

Estou a falar, neste exemplo, do Arq. Tomás Taveira.

O artigo é de 2003, 10 anos depois do meu acidente (uma camioneta fora de mão choca comigo de frente, e eu toda partida fui consertada no British Hospital, em Campo de Ourique - ainda havemos de falar nisto, Dr. Ricardo Espirito Santo Salgado!) andava eu de bengala.

Atentem no penúltimo parágrafo do "Sobe & Desce":

"O dr. António Costa tem que confiar na Justiça, tem que ler “histórias da cochinha”, “histórias da vida real”, para perceber que no melhor pano "pode", note-se, pode cair a nódoa, e com este exercício endurecer um pouco o coração e preparar-se, para segurar o Partido Socialista."

O Tomás, bem informado como é, lá saberá as infâmias que me têm feito.

sábado, 5 de setembro de 2009

Às Autoridades deste país que me saibam responder! - III

O meu telemóvel é o 917407529, ainda era Telecel.
Acontece que sempre tive estranhos acontecimentos no meu telemóvel desde ligar para o Voice Mail e este estar impedido (como é que pode estar impedido? só se alguém estiver na mesma ocasião a ouvir, e eventualmente a apagar, as mensagens que me deixavam), passando por estranhos reenvios, até haver cruzamento de linhas (pasme-se!) com telefones da rede fixa.

Toda a gente, quando digo toda a gente posso referir, apenas para exemplo, o Dr. Mário Soares, o Dr. Jorge Sampaio, o Dr. Paulo Portas, o Primeiro-Ministro Britânico Anthony Blair, bem como todas as pessoas das minhas relações familiares e profissionais, conhecem este número!

Curiosamente, e apesar de eu ter um tarifário que me permitia não proceder a carregamentos, embora, naturalmente, pagasse as chamadas mais caras, deixei de conseguir aceder ao meu Correio de Voz. Inquirido o Apoio a Clientes foi-me comunicada a desculpa de que o número nunca me tinha pertencido e nem sequer estava atribuído!!!

Se alguém ligar o número apenas ouve a seguinte mensagem (provavelmente depois deste post vão mudá-la!):
"O cliente Vodafone para o qual ligou tem neste momento o telefone desligado. Por favor tente mais tarde"

Ora bem: então se o telefone não está atribuído como é que aparece esta mensagem?

Aqui temos uma de duas cartas (esta de 31 de Maio de 2002, a segunda de 4 de Junho de 2002) da Vodafone em resposta às minhas reclamações pelas anomalias na Caixa do Correio, bem como o PIN e o PUK do meu telefone.


Explique lá então Dr. António Carrapatoso (ou qualquer outro personagem!) como é isto possível?
É para me fazerem desaparecer?
Sou um osso duro de roer! Nem com a tentativa de homicídio que foi o meu desastre o conseguiram! E andei alguns anos de canadianas e bengala; até me chamavam a "cochinha".
Mas isto da "cochinha" vai ser outro post!

ESTE BLOG VAI CONTINUAR ATÉ O MEU DINHEIRO APARECER NA MINHA MÃO!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Às Autoridades deste país que me saibam responder! - II

Eu na década de 60

O meu suposto pai, Eduardo Jorge Santos Reis

Eu na actualidade, antes de ter cortado o cabelo.

Minha querida "tia" e "madrinha", Maria Manuela dos Santos Reis Rangel de Mesquita, médica Psiquiatra e ex-directora de serviços no Hospital Júlio de Matos,:
De acordo com as suas declarações no DIAP "...até porque acompanhou o seu crescimento até à vida adulta" (sic), é por isso que me mandou operar aos olhos, na Clinica do Dr. Henrique Moutinho na Av. Fontes Pereira de Melo (30 contos pagos pela avó Mimi na década de 60) para ficar estrábica para fora como o seu irmão, meu suposto pai, Eduardo Jorge dos Santos Reis?
Por casualidade (seria?) ele também era alourado e tinha olhos verdes.
Ahh... e disse-me um dia: "Eu sempre gostei de ti como de uma filha!". Há muito que eu sabia que o Eduardo não era o meu pai! Se o louro de olhos verdes não era o meu pai então não seria aquele tição de cabelo e olhos negros que seria minha mãe! Basta começar a juntar peças!
Além disso no dia do meu "aniversário", 22 de Agosto, desapareciam todos e eu ficava sózinha sem bolo, festa, amigos... Até parecia que tinha morrido alguém nesse dia!...

Isto é uma infâmia e um crime!!

Quem sou eu para ser preciso tanto crime para me esconder? Sabendo eu inclusive pela D. Ilda que o Sr. Eduardo não era o meu pai?

E a propósito de crime: será que este crime prescreve?? Responda-me "sua eminência", "o homem mais bonito da avenida de roma", Juiz Armando Figueira Torres Paulo!!

Pelos vistos a minha "tia" é mais poderosa que o Armando, pois o meu suposto pai morreu na rua e a sua autópsia não foi efectuada, ao invés da sua mulher (a minha melhor amiga e prima do meu marido, Maria Isabel Carrasco Vivas Torres Paulo), apesar de ter sido Director da Policia Judiciaria e Presidente da Alta Autoridade para a Comunicação Social!

E a maior das infâmias, Drª Manuela Rangel de Mesquita, quem é a senhora para ter mandado desligar as máquinas de suporte de vida do meu filho mais velho no Hospital D. Estefânia?
E também foi a senhora que me enviou o telegrama durante a madrugada a avisar da morte? Como médica sabe o que me poderia ter acontecido. Por sorte minha a enfermeira do Hospital de Cascais era inteligente e não mo leu.

Gostava de ter uma resposta querida "tia":
Tudo isto terá sido a conselho do seu antigo namorado o Dr. Adriano Moreira, que a senhora sua mãe não aprovava por ser filho de um polícia?

Como está vendo o Serenal não resultou assim tão bem... Larguei-o sozinha e custou-me muito!!!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Às Autoridades deste país que me saibam responder!

Capa e contracapa do meu Boletim Individual de Vacinas

Verso da capa e pagina 1

paginas 2 e 3

paginas 4 e 5

Paginas 6 e 7

Pagina 8 e verso da contra-capa

A minha Ficha Individual de Vacinas - frente

Ficha Individual de Vacinas - verso

Gostava que me explicassem como é que eu andei nas diversas escolas que frequentei com as vacinas neste estado. Os meus filhos tinham que ter tudo em dia.

Curiosamente também nunca ia à Mocidade Portuguesa ao Sábado. Coisa bastante difícil, se não impossível, naquele então!

E não me venham dizer que no tempo do Salazar ninguém era vacinado!